04 abril 2011

Camelot



A lenda está marcada dentro de nós. Eterna e mágica.
Camelot. Artur. Excalibur.




Mas nem tudo em "Camelot", nova série da STARZ, é realmente igual aquilo que temos em nossa mente. Esqueça a parte da lenda onde Merlin é um velho de barbas longas e chapéu pontudo e Morgana era filha de Gorlois, o Duque da Cornualha e da Senhora Igraine. Na nova versão Merlin não tem barbas brancas e tão pouco usa um chapéu, e Morgana é uma mistura de Morgause e da terrível Bruxa do Oeste, capaz de se transformar em uma criança para envenenar seu pai, o então Rei Uther Pendragon.

Com todas as licenças poéticas que todas as séries televisivas tem, fica dificil depois de apenas dois episódios dizer se "Camelot" veio para ser um sucesso ou um fracasso. As paisagens são maravilhosas, os atores irrepreensíveis, mas acho dificil acreditar em uma Guinevere ousada que sai do mar usando apenas uma túnica transparente colada ao corpo e ameaça o futuro Rei da Bretanha com uma faquinha de descascar maçã. Da mesma maneira que já me cansei de ver Artur com cara de menino bobo e indefeso. Obviamente foram apenas dois episódios e tudo pode mudar, Artur vai crescer e a estória vai se desenrolar.

Além disso, nos primeiros episódios contamos com a presença e magnetismo de James Purefoy como o Rei Lot, personagem marcante e que se tivesse sobrevivido seria um ótimo oponente para Artur na telinha assim como foi na história, onde se casou com Morgause (tia de Morgana) e viu seus três filhos se tornarem Cavaleiros da Távola Redonda.




Joseph Fiennes
dá vida a um introspectivo e sinistro Merlin, fazendo de seu Mago um personagem que segue sua própria agenda visando o futuro da Bretanha e a paz entre os povos. Fica sempre no ar a dúvida: será esse o único motivo que leva Merlin a lutar tanto para que Artur seja coroado e se torne o Grande Rei?





Eva Green é uma versão bem dark de Morgana.
Seus olhos guardam toda a mágoa de uma filha que foi preterida, abandonada e escurraçada, perdendo assim o direito ao trono da Inglaterra. Rodeada de magia negra, ela vai lutar com todas as suas armas para derrubar Artur e ter o que acha ser seu de direito.








Jamie Campbell Bower
e Tamsin Egerton são Artur e Guinevere, ambos jovens, loiros e inconsequentes. E pensar que é por intermédio dessa menina que a Inglaterra se perde da Religião Antiga e se entrega cegamente ao catolicismo fanático.


Será que "Camelot" vai manter essa parte da lenda?

2 comentários:

Anne Summers disse...

Gostei tanto do comentário que vou ter de ver Camelot... e ainda nem consegui acabar de ver a 2 temporada de Merlin.

Sissi disse...

Oi Querida! Dá pra ver as duas em paralelo... cada uma tem uma mitologia totalmente diferente da outra :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...